Será que eu consigo fazer melhor que meu chefe?

Como muitas outras atividades, a programação é uma tarefa nobre. Não pode ser feita de qualquer jeito. É preciso ter planejamento, pensar, saber onde colocar as coisas para que não se crie elefante branco que teimam em parar de funcionar e que dá muito trabalho em fazê-lo andar novamente.

E assim também como as outras atividades, a programação precisa ocorrer debaixo do guarda-chuva de uma empresa.

Sem generalizar: o desconhecimento do seu chefe, disputas internas e egos inflados podem tornar o caminho da programação tortuoso. Saber programar, ser cuidadoso, meticuloso, às vezes por si não é o suficiente para se programar bem. Você sabe programar bem, mas não consegue. O ambiente próximo também influencia. Programar não significa trabalhar sem ter que lidar com outras pessoas. Não é nesssa atividade que se tem esse privilégio.

Programar direito também significa ganhar dinheiro. Mais do que simplemesmente ganhar o seu dinheiro, mas gerar dinheiro e compartilhar com todos que de alguma forma contribuem para que o seu trabalho exista. O problema é quando você tem que compartilhar o dinheiro com pessoas que te impedem de gerar a maior renda possível com o seu trabalho.

Não é de se admirar que existe um grande número de programadores freelancers. Me arrisco a dizer que talvez seja uma das atividades que mais possui gente trabalhando fora do guarda-chuva de uma empresa. Sem falar na rotatividade: também existem uma grande porção de programadores que ficam dentro de uma empresa por pouco tempo e também me arrisco a dizer que a média de tempo em que um programador fica em uma empresa é menor do que em outras atividades.

Também, não posso dizer que ser trabalhar por conta própria seja o mundo ideal, ou mesmo um mundo bonito. Significa desenvolver outras atividades fora do mundo da programação. Procurar por clientes, fazer a manutenção de uma rede de contatos, gerenciar o relacionamento com clientes, saber lidar com o cliente com problemas tecnicos ocorrerem, talvez lidar com um contador para a sua empresa aberta. Mas de tudo que se é necessário fazer fora da programação, talvez o maior desafio de um programador freelancer seja filtrar todos os "projetos furados" que aparecem por aí.

O mundo cada vez mais precisa de programadores. Quase todo mundo precisa de algum nível de programação. Inclusive os projetos mal gerenciados e que geram pouco dinheiro. Fique longe destes lugares. É bom saber também recusar propostas.

No mais, não se esqueça também que o mundo é pequeno. Se por um lado o mundo anda muito carente de programdores, por outro lado um trabalho mal feito, mal condizdo, irresponsável, pode gerar um ativo negativo muito sério. Você pode se queimar no mercado. Trabalhar fora do guarda-chuva de uma empresa também significar lidar com esse tipo de risco, que é totalmente gerenciável por você.

É muito justo e correto que as as pessoas não se acomodem e desenvolvam novos tipos de habilidades. Para os programadores, não pensem que a atividade de programação irá livrar de lidar com outras pessoas. No mínimo, você precisa se reportar ao seu chefe. Se estiver fora de uma empresa, precisa saber buscar clientes. Se conseguir clientes, precisa saber gerenciar projetos e se organizar. E o mais legal de tudo, você não fica dependente de lugares mal gerenciados ou de ambientes que não te respeitam. Mas isso requer desenvolver novas habilidades. Não é terreno para pessoas acomodadas ou que não querem lidar com outras pessoas. Se isso for bem feito, não só apenas não vai precisar compartilhar seu dinheiro com outras pessoas, como também vai gerar o máximo de renda possível com o seu dinheiro!

Comentar