Você nunca vai conseguir utilizar a tecnologia apropriada

A tecnologia que você usa nunca vai ser a tecnologia apropriada. Se ela é muito nova, ela está pouco documentada, há poucas tecnicas desenvolvidas para ela e há muitas coisas que poderão se quebrar quando aplicados em contextos um pouco diferentes.

Se a tecnologia é velha, por outro lado, terá muita documentação, teve muitas tecnicas desenvolvidas e será muito estável, porque pelo histórico todos os problemas que tiveram que acontever já aconteceram e já foram resolvidos. Mas há poucos olhando para desenvolver e mantê-la.

Comecei a aprender programação em 2009, e ainda trago com nostalgia alguma mentalidade daquela época que foi deixada de lado, mas que eu ainda acho importante. A tecnologia, em especial a da internet, começava a ficar popular. Não para os utilizadores, mas para os fornecedores de tecnologia. Todos agora poderiam ter um servidor rodando um gerenciador de conteúdo em PHP. Apropósito, era uma época da "explosão" dos CMS, em que estrelas como o WordPress, o todo-poderoso Drupal e os falecidos Xoops e Nucleus estavam em patamares parecidos e ninguém sabia quem iria continuar e viver. Era uma época em que pessoas começavam a estudar o futuro em função de todas as recentes possibilidades abertas e vislumbradas nos anos recentes e muita gente começou tentar fazer uma carreira em cima do plano teórico (e olhando para hoje, muitos estavam bem equivocados sobre o futuro que vivemos hoje).

A grande mentalidade desta época é que havia um cuidado especial para a "confiabilidade dos sistemas". Todo sistema possui bugs, isso se sabe desde sempre. A questão é o cuidado especial que se dava para a escolha de um sistema em função de sua confiabilidade. Como então todos podiam ter um servidor e rodar sua aplicação, todos passavam a falar em confiabilidade. Afinal de contas, um servidor lida com milhares de usuários. Quebrar o servidor é quebrar a utilização para milhares de pessoas ao mesmo tempo.

Hoje não se fala mais nisso. A diversidade de produtos oferecidos para hospedagem de sistemas e serviços na nuvem fez com que o a preocupação com a segurança de rede e do sistema operacional fossem terceirizadas. Então, o vácuo da discussão foi ocupado pelos frontends. Se naquela época havia uma explosão de CMSs, hoje há uma explosão de frontends. E as discussões estão todas neste tópico.

Mas há uma diferenciação no foco da preocupação: as pessoas não estão mais preocupadas com a confiabilidade. Para garantir a confiabilidade bastava seguir um fisolosifa simples: nunca adotar o sistema mais novo, mas adotar o sistema anterior ao mais novo. Isso porque o "sistema anterior ao mais novo" naquela época costumava ser o sistema mais usado. Logo, era mais fácil encontrar quem estava enfrentando os mesmos problemas. Era o sistema que mais havia documentação e dos quais já se tinha enfrentados muitos problemas já resolvidos, tanto pelos programadores utilizadores da tecnologia quanto pelos desenvolvedores e mantenedores. Era a boa prática da época.

Hoje essa "boa prática" não costuma ser adotada. Geralmente encontro pessoas sempre militando para a última da última tecnologia. Isso incomoda muito alguns programadores. Isso me incomoda. Não se pode se esquecer que a tecnologia é meramente um meio para o fim. Sob este ponto de vista, não faz sentido militar para nenhuma tecnologia em específico. Um site pode ser renderizado em uma interface completamente desacoplada ou pode abordar a forma tradicional de processamento do HTML no servidor. Abordagens completamente diferentes. Mas sempre levando à um site.

Militar pela tecnologia mais nova por padrão pode nos levar a defendê-la pelos argumentos padrões: é mais rápida, tem mais ferramentas, é conectada com as tecnicas mais modernas, etc, etc etc. Mas a tecnologia anterior também pode ser rápida, também pode ter muitas ferramentas, dependendo do tipo de intgração também pode se conectar com as tecnicas mais modernas. A diferença é que para a tecnologia nova você precisa desenvolver o conhecimento para poder ter todas as vantagens. Na tecnologia velha, o conhecimento já está desenvolvido. O que mais me incomoda em defender a tecnologia mais moderna é que se perder um senso de objetivo. De novo: a tecnologia é meramente um meio. Nada mais que isso.

Gosto de uma afirmação que parece um tanto atemporal: "se você sempre ficar adotando a tecnologia mais nova, nunca conseguirá uma tecnologia direito". E o motivo para isso é simples: antes de você aprender a utilizar a tecnoligia direito, você já vai sair para aprender algo novo e diferente. Qual o valor de utilizar a tecnologia mais nova, se ela ainda não consegue ser utilizada da forma correta por ninguém?

Comentar